Conecte-se Conosco

Brasil

Após acusação de Joana Darc, MP vai investigar 16 Deputados do Amazonas

Rapidinhas do RDP

Publicado

em

Compartilhe na suas Redes Sociais

Após acusação da deputada Joana Darc (PL), líder do Governo na Assembleia Legislativa do Amazonas (Aleam), sobre um esquema de compra de votos para eleger o novo presidente do Parlamento, deputado Roberto Cidade (PV), o Ministério Público (MP-AM) vai agir de ofício e investigar todos os 16 deputados que votaram nele.

O MP-AM vai pedir esclarecimentos dos 16 deputados a partir da instauração de uma Notícia Fato baseada nas acusações feitas pela deputada na tribuna na sessão da última quinta-feira (3).

Joana acusou o deputado Roberto Cidade de comprar os votos dos demais deputados para mudar a Constituição do Estado e o eleger novo presidente da Aleam.

“O deputado Roberto Cidade foi atrás de comprar votos dos colegas deputados estaduais. E eu digo o valor, porque ele não chegou a falar comigo, mas aqui todo mundo fica sabendo das coisas. O voto era R$ 200 mil”, disse Joana.

Durante a sessão os deputados contestaram a acusação, mas Joana disse que podia falar porque tem “imunidade parlamentar”.

De acordo com o Ministério Público “o procedimento padrão inicial é a instauração de uma Notícia de Fato, que é seguida de envio de expedientes (ofícios) aos denunciados e órgãos e entidades que possam prestar informações iniciais. Daí, as investigações podem seguir de diversas maneiras de acordo com a necessidade de quem estiver apurando”, diz a resposta da assessoria do MP-AM.

Ação Judicial

A pedido da líder do governo Joana Darc e dos demais deputados que se sentiram prejudicados pela derrota na eleição da Aleam, a Justiça concedeu liminar suspendendo o resultado da eleição da Mesa Diretora do Parlamento. A decisão é do desembargador Wellington José de Araújo, mesmo magistrado que suspendeu a CPI da Saúde e o processo de impeachment do governador Wilson Lima (PSC).

Ataques

Durante a sessão da última quinta-feira Joana disse que iria acionar a Justiça contra os deputados porque não foi convocada para participar da reunião da CCJR (Comissão de Constituição, Justiça e Redação) que aprovou a PEC que permitiu adiantar a eleição da Mesa Diretora. Para Joana, a votação é “totalmente ilegal” e contraria o Regimento Interno da Aleam.

Durante toda a votação, a deputada não poupou acusações e críticas aos 16 parlamentares, chegando a citar nominalmente cada um, chamando-os de “bandidos”, “golpistas”, “traidores” “traíras”, afirmando que estavam acostumados a planejar as coisas “às escondidas”.

Agressão

Ao terminar a sessão, Joana chegou a se aproximar do presidente eleito, Roberto Cidade, esbarrou de leve nele e disse que estava sendo agredida. Vídeos gravados no momento só mostraram Roberto Cidade levantando as mãos no momento que a deputada esbarrou nele.

2 Comentários

2 Comments

  1. Avatar

    Salah Edin Palheta

    dezembro 5, 2020 em 7:34 pm

    eu como cidadão amazonense repúdio essas acusações dessas duas deputadas que todo o tempo foram e estão contra a CPI da saúde e que conseguiram arquiva-la.

    O que ninguém entende o porquê de tanto apoio por parte dessas deputadas a este governado corrupto com provas nítidas e esclarecidas a população.

    Inclusive a polícia federal já prendeu vários membros dessa máfia que está no governo do estado, bem como secretários e pessoas que não tem ligação alguma com o governo e aparecem comprando aparelhos respiradores SUPERFATURADOS!!!

    o que acontece atualmente no estado é um roubo escancarado dos cobres públicos enquanto o povo caboclo morrendo a míngua nos hospitais por falta de cuidados paliativos, remédios e leitos etc.

    Já está na hora da polícia federal, a justiça federal e a PGR (procuradoria geral da República) agirem e investigarem esses deputados e essas duas deputadas que fizeram de tudo para arquivar a CPI da saúde solicitada pelos deputados Josué Neto, Wilker Barreto, Delegado Péricles etc.

    ESTE É O MEU REPÚDIO COMO CIDADÃO CABOCLO AMAZONENSE!!!

    😡😡😡😡😡😡🚣🚣🚣🌴🌴🌴🐒🐒🐒🐟🐟🐟

  2. Avatar

    Demosalem

    dezembro 5, 2020 em 10:03 pm

    Quem é Joana D’Arc como exemplo de lisura e compra? Conclui-se que na política de hoje, tudo é comprado, seja de um lado ou do outro.
    Mais enrolada do que a Joana, é a postulante derrotada Alessandra Campelo.
    Ambas péssimas postulantes de cargos eleitorais, mais para eleitoreiros, possuidoras de vários negócios frutificados deste governo.

Deixe uma Resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Mais Lidas da Semana