Conecte-se Conosco

Últimas

Mulheres poderão trabalhar ‘à luz da lei islâmica’, diz Talibã

Fernando Souza

Publicado

em

Compartilhe na suas Redes Sociais

Um porta-voz do grupo fundamentalista islâmico Talibã, que reassumiu o poder no Afeganistão, afirmou que as mulheres terão acesso a escolas e universidades e não precisarão usar burca na rua.

No entanto, de acordo com Suhail Shaheen, as afegãs ainda terão de utilizar o hijab, véu islâmico que deixa o rosto à mostra, ao sair de casa. “É pela segurança delas”, justificou o representante em entrevista à rede britânica Sky News.
Além disso, Shaheen ressaltou que as mulheres terão acesso a trabalhos e educação, mas “à luz da lei islâmica”. “Vamos nos empenhar pelos direitos das mulheres no âmbito da Sharia [a lei islâmica], não haverá discriminação”, reforçou outro porta-voz, Zabihullah Mujahid, em coletiva de imprensa em Cabul.

De volta ao poder 20 anos depois de ter sido destituído pela invasão americana, o grupo fundamentalista vem tentando vender uma imagem de “moderado” para facilitar seu reconhecimento pela comunidade internacional.

Em seu primeiro regime, entre 1996 e 2001, o Talibã proibia a existência de escolas mistas, o que, na prática, impedia que meninas estudassem, e obrigava mulheres a usarem burcas – vestimenta que cobre o corpo inteiro – ao sair de casa.

Clique Para Comentar

Deixe uma Resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Mais Lidas da Semana