Conecte-se Conosco

Brasil

Queiroga defende portaria que impede demissão de não vacinados

RDP

Publicado

em

Compartilhe na suas Redes Sociais

Ao ser questionado se ele não tinha convencido o presidente Jair Bolsonaro a se vacinar, Queiroga disse que é ministro da Saúde, não médico do presidente.

Nesta quinta-feira (4), o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, defendeu nesta quinta-feira a portaria do Ministério do Trabalho e Previdência que proíbe a demissão de funcionários que não se vacinaram contra a covid-19. Para o Queiroga, é ‘drástico’ demitir quem não quis se imunizar.

“Na realidade, nós queremos criar empregos, sobretudo empregos formais, com carteira assinada. Essa portaria é no sentido de dissuadir demissões no indivíduo ser ou não vacinados. A vacina as pessoas devem buscar livremente. Agora mesmo, na Europa, existem 3 situações que garantem esse acesso mais livre aos locais de trabalho, etc, uma espécie de passaporte, considera aqueles que adoeceram há seis meses por covid, aqueles que tem teste negativo de 72 horas e o fato de ser vacinado”, disse Queiroga após um encontro com o presidente do Supremo Tribunal Federal, ministro Luiz Fux.

Penso que é neste sentido que o Ministério da Saúde se manifesta. O Ministério da Saúde historicamente impugnou pela defesa do emprego. Então nós achamos muito drástico se demitir pessoas porque elas não quiseram se vacinar. Como médico, eu sempre consegui que meus pacientes conseguissem aderir aos tratamentos na base do convencimento”, acrescentou Queiroga.

Ao ser questionado se ele não tinha convencido o presidente Jair Bolsonaro a se vacinar, Queiroga disse que é ministro da Saúde, não médico do presidente.

Publicidade
Clique Para Comentar

Deixe uma Resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Mais Lidas da Semana