Conecte-se Conosco

Últimas

Evergrande não paga juros de títulos e dá calote de US$ 148,13 milhões

RDP

Publicado

em

Compartilhe na suas Redes Sociais

A gigante chinesa do setor imobiliário Evergrande não pagou os juros de títulos que venciam nesta quarta-feira (10) e entra oficialmente em default. O Deutsche Marktscreening Agentur (DMSA), que investiu nos títulos da Evergrande, está agora preparando um processo de falência contra a empresa.

A incorporadora imobiliária chinesa voltou a deixar de efetuar o pagamento de juros a investidores internacionais, afirma uma carta da DMSA. O DMSA é um serviço de dados independente que avalia informações relevantes para o mercado de empresas para auxiliar os investidores, de acordo com seu site.

A DMSA não recebeu nenhum pagamento de juros de Evergrande, disse. No geral, Evergrande teria que pagar US $ 148,13 milhões em juros sobre seus três títulos que venciam hoje, disse a DMSA. “Mas até agora não recebemos juros sobre nossos títulos”, disse o analista sênior da DMSA, Marco Metzler, na carta. “Com os bancos em Hong Kong fechando hoje, é certo que esses títulos entraram em default”, acrescentou Metzler.

Embora a DMSA afirme que a Evergrande não pagou seus pagamentos de juros, um porta-voz da Clearstream disse à Bloomberg que ela recebeu pagamentos de juros vencidos sobre três títulos em dólares americanos emitidos pelo desenvolvedor chinês. A Clearstream é um depositário central internacional de valores mobiliários que fornece infraestrutura pós-negociação e serviços de valores mobiliários para clientes em 110 países, disse.

A Bloomberg também informou mais cedo que dois investidores detentores de dois dos títulos confirmaram que receberam os pagamentos, mas não revelaram sua identidade porque não estavam autorizados a falar publicamente.

Enquanto a DMSA se prepara para entrar com um processo de falência contra a empresa chinesa, ela está convocando outros investidores em títulos a participarem também.

“Mas enquanto o mercado financeiro internacional até agora enfrentou a turbulência financeira em torno do oscilante gigante Evergrande com uma notável confiança básica – também se pode dizer: com notável ingenuidade – o banco central americano Fed confirmou nossa visão ontem”, disse Metzler. “Em seu último relatório de estabilidade, ele apontou explicitamente os perigos que um colapso de Evergrande poderia representar para o sistema financeiro global”, acrescentou.

Evergrande é a segunda maior incorporadora imobiliária do país e ganhou as manchetes por suas práticas errôneas, incluindo inadimplência no pagamento de títulos de cerca de US $ 47,5 milhões com vencimento no final de setembro. Em outubro, as ações da empresa foram interrompidas nas negociações de Hong Kong em um ponto, devido à venda de uma participação majoritária em seus negócios por mais de US $ 5 bilhões.

Publicidade
Clique Para Comentar

Deixe uma Resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Mais Lidas da Semana