Conecte-se Conosco

Brasília

Depoimento da juíza Leila Cury aponta influência de Sardinha na Secretaria da Administração Penitenciária

Fernando Souza

Publicado

em

Compartilhe na suas Redes Sociais

Durante as investigações da Operação Maré Alta, o Ministério Público do Distrito Federal e Territórios (MPDFT) colheu o depoimento da juíza Leila Cury, titular da Vara de Execuções Penais, sobre o funcionamento do sistema prisional. Ela disse ter ouvido, em repetidas ocasiões, do secretário de Administração Penitenciária, Geraldo Nugoli, que a pasta era comandada pelo deputado Reginaldo Sardinha (Avante) e que precisava de autorização do parlamentar para conduzir atividades na área.

A juíza Leila Cury também afirmou, no depoimento, que na inauguração do Centro de Detenção Provisória 2 – Desembargador George Leite – viu Sardinha na mesma mesa que o empresário Paulo Octávio.

O depoimento foi citado pelos promotores do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) para demonstrar que Sardinha tinha controle total da Secretaria de Administração Penitenciária e proximidade com Paulo Octávio.

No pedido de deflagração da Operação Maré Alta, o MPDFT sustenta que Sardinha interferiu diretamente para viabilizar a contratação de aluguel de imóvel, de propriedade da Paulo Octávio, para instalação da sede da Secretaria de Administração Penitenciária, no Setor Bancário Sul.

Publicidade
Clique Para Comentar

Deixe uma Resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Mais Lidas da Semana