Conecte-se Conosco

Goiás

Caiado é vaiado em evento com Bolsonaro em Goiás

Compartilhe na suas Redes Sociais

Governador foi alvo de vaias e gritos de “fora” durante evento sobre entregas de regularização fundiária

RDP

Publicado

em

Compartilhe na suas Redes Sociais

O governador de Goiás, Ronaldo Caiado (União Brasil), foi alvo de vaias em evento junto do presidente Jair Bolsonaro (PL) nesta 4ª feira (20.abr.2022), em Rio Verde (GO). Em cerimônia sobre entregas de títulos de terra, o governador foi vaiado e ouviu gritos de “fora” ao ser mencionado por outras autoridades.

Sob vaias, o governador disse em discurso que luta desde 1986 contra “as esquerdas” e em favor dos direitos do produtor rural. Caiado fez uma pausa antes de sua fala para esperar o fim das vaias, mas a plateia seguiu gritando. “Vou aguardar, vou aguardar”, disse ante as vaias recebidas. A organização do evento pediu silêncio e colaboração da plateia mais de uma vez.

Nós levantamos esse Brasil e na Constituinte cravamos o direito à propriedade, o direito à terra e está consolidado naquela carta pela coragem dos homens e mulheres de Goiás e desse Brasil. A luta não parou aí, nós enfrentamos as esquerdas como ninguém, tivemos coragem de levar a bandeira de quem produz e trabalha”, disse Caiado.

O governador deve se candidatar à reeleição. No Estado, Bolsonaro apoia a candidatura do deputado Vitor Hugo (PL-GO) ao governo do Estado. O congressista é ex-líder do governo na Câmara e estava no evento. Ele foi aplaudido quando mencionado pelo chefe do Executivo.

Caiado também mencionou sua candidatura à Presidência em 1989 e fez pedido para Bolsonaro: “Vossa Excelência podia fazer um favor a mim: aqui avisar e exatamente informar aos desinformados que em 1989 ninguém tinha coragem de ser candidato a presidente para defender produtor rural”, disse.

Em seu discurso, o chefe do Executivo fez aceno ao governador ao mencionar como se conheceram. “A primeira vez que eu o vi […], estava na escadaria da Câmara Municipal do Rio de Janeiro. […] Vi uma barulheira enorme ali na frente. Estava lá em um pequeno carro de som um cidadão que estava sendo apupado, obviamente, vaiado. Assim como se eu estivesse no lugar dele também seria vaiado”, declarou.

Sem citar nomes, o presidente disse em seguida que o “inimigo da nação veste vermelho”. A plateia reagiu gritando: “Lula ladrão seu lugar é na prisão”.

Dizer a vocês, dizer a todos vocês, entre nós aqui nós sabemos quem é o inimigo da nação. O inimigo da nação não veste verde e amarelo, veste vermelho e tem na sua bandeira uma foice e um martelo”, disse Bolsonaro.

Ao longo de seu mandato a aliança entre o presidente e Caiado passou por momentos de oscilações. Em março de 2020, o governador rompeu relações com Bolsonaro por divergências no combate à pandemia. Médico, o governador defendia medidas mais restritivas contra o vírus.

No mesmo ano, em agosto, Caiado diminuiu críticas e voltou a fazer elogios ao presidente. O preço dos combustíveis e o ICMS também já motivou declarações de Bolsonaro contra Caiado.

Publicidade
Clique Para Comentar

Deixe uma Resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Mais Lidas da Semana